Por que tentar o TRF 4?

Por 07/06/2019 Dicas, Editais

8 motivos para você tentar o concurso do TRF 4

Primeiro, uma análise fria do edital:

Provas em 4 de agosto de 2019
Banca: FCC (Fundação Carlos Chagas)

Técnico: Português, Raciocínio Lógico-Matemático, Direitos Administrativo, Constitucional, Processual Civil, Processual Penal, Previdenciário e Tributário.

Analista Jud. A. J.: Português, Raciocínio Lógico-Matemático, Direitos Administrativo, Constitucional, Processual Civil, Processual Penal, Previdenciário, Tributário, Civil e Penal (note que essas são as únicas não cobradas em Técnico. Técnico está contido em Analista Jud).

Oficial de Justiça: Português, Raciocínio Lógico-Matemático, Direitos Administrativo, Constitucional, Processual Civil, Processual Penal e Penal.

Informações úteis:

  • Analista vai ter 4x mais discursivas corrigidas do que Oficial de Justiça.
    Dá pra fazer Técnico e Analista ao mesmo tempo (manhã e tarde).
  • Estudo de caso (AJAJ): correção conforme classificação de cada microrregião. São 2 questões práticas sobre Conhecimentos Específicos (D. Previdenciário e D. Administrativo)
  • Estudo de caso (Oficial): correção conforme classificação de cada microrregião. São 2 questões práticas sobre Conhecimentos Específicos (D. Proc Civil e D. Proc Penal)
  • Redação (técnico) até 30 linhas

 

Vamos lá!

O “mundo” dos concursos deu uma grande agitada desde a semana passada com a divulgação do edital do concurso para o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul).

Quem vive nesse mundo certamente já está sabendo dessa oportunidade. E muitos já começaram a preparação para a reta final até o dia da prova. Mas vejo que alguns alunos ainda estão relutantes sobre os benefícios de se fazer essa prova. Seja porque não quer morar no Sul, ou porque as vagas são somente cadastro de reserva ou porque não se sempre preparado ainda.

Vou te dizer aqui pelo menos 6 excelentes motivos para que você, que ainda está na dúvida, analise se é uma oportunidade ao seu alcance.

1 – O órgão deve chamar muita gente: Segundo informações do Portal da Transparência, o TRF4 está com quase 300 cargos vagos para Técnico e para Analista. E, como o concurso terá validade de 2 anos, muito provável que chamem essa quantidade de aprovados. Outra informação que diz que o órgão deve chamar muitos aprovados é o fato de terem colocado lotações em todas as regiões dos 3 estados. Ou seja, várias seccionais do Tribunal receberão novos servidores.

2 – O salário é maior do que muitos cargos até mais concorridos: No edital, está prevista uma remuneração de mais de 12 mil reais para analista e mais de 7 mil reais para técnico. Mas sabemos que, com os vários adicionais e auxílios que o órgão dá, o salário fica bem mais alto do que isso. Vejo muita gente se esforçando para concursos bem mais concorridos e com salários bem mais baixos que esse.

3 – Local de trabalho: O TRF4 abrange 3 dos melhores e mais desenvolvidos estados do país para se viver. Se você gosta de cidades modernas, lá tem várias. Se você quer a paz e a tranquilidade de uma cidade do interior, lá tem de sobra. Se quer viver em uma cidade sem violência, lá tem inúmeras. Quer praia? Lá tem lindas! Quer frio? Tem também! Enfim, tenho certeza que esses estados podem te surpreender muito em relação à qualidade de vida. Mas, se mesmo assim, a região sul não te convencer a morar lá, lembre-se que você será um servidor FEDERAL! Exatamente! Existem muitas oportunidades de remoção e de permutas entra os diversos TRF, TRT e TRE do Brasil.

4 – As matérias são muito comuns a vários concursos: Se você está com receio de prestar essa prova em virtude de não ter se preparado com antecedência para ele, não se preocupe. Provavelmente você já estudou várias (senão TODAS) as matérias que cairão nesse certame. Pois são disciplinas bem comuns à maioria das provas de alto nível do Brasil. Para Analista, existem 4 especialidades: Direito, Oficial de Justiça, Infraestrutura em TI e Sistemas de TI. Os dois primeiros exigem formação em Direito. Bom, obviamente, se você os quiser, já estudou todos os direitos que caem na prova. Além deles, terá somente Português e Raciocínio Lógico. Isso significa que você tem que estudar a teoria dessas duas matérias e tem que estudar todas as outras somente via questões. Já os dois outros cargos exigem formação em TI e só cobram Português, Raciocínio Lógico e matérias relacionadas a TI. Percebe como já viu provavelmente todas as matérias?

Já as especialidades de Técnico são 3: Administrativa, TI e Segurança e Transporte. Na Administrativa, caem todos os direitos que costumam cair nas provas de Técnico Judiciário de qualquer tribunal. E as outras só cobram matérias específicas da área de TI ou de Segurança.

Sendo assim, tenho quase certeza que você já sabe a maior parte das disciplinas que serão exigidas na prova! Se não se sente preparado para passar, pelo menos você deveria fazer a prova para treinar o que já sabe.

5 – Escassez de concursos: Como todos sabem, estamos em uma fase não muito boa dos grandes concursos. Não vejo sentido em um concurseiro que pode ($), não ir fazer essa prova. Provavelmente será uma das melhores oportunidades do ano!

6 – Ainda dá tempo! Ainda faltam 2 meses para a prova. Não é o ideal, mas, se você se esforçar bastante (e tiver horas diárias de estudo), dá tempo de cobrir todo o edital com certa qualidade (a menos que nunca tenha visto nada). Se você vinha se preparando para outro concurso com matérias semelhantes, faça uma adequação e trabalhe naquilo que ainda não viu. Vai ver que estudar com edital publicado te fará crescer muito. Além disso, é possível priorizar os assuntos que caem com mais frequência, aumentando a chance de ganhar pontos e reduzindo o risco de estudar coisas que não caem nunca. Isso está no meu ebook e explicarei mais abaixo.

7 – Mesmo que não seja seu objetivo final, você pode sair dessa vida bandida: Sim, estudar empregado é muito mais confortável. A pressão que você e a sociedade fazem sobre você será reduzida quando estiver aprovado. Por isso, mesmo que não seja o seu objetivo final, vale a pena tentar aprovação nesse concurso e seguir o seu objetivo com muito mais conforto.

8 – Trabalhar no judiciário é muito bom: dentre os 3 poderes, muitos dizem que o judiciário é aquele que mais dá valor aos seus servidores. São inúmeros os benefícios que só o judiciário proporciona. O auxílio-alimentação é o maior entre os 3 poderes. Temos também a GAL (Gratificação de Atividade Judiciária). Além da remuneração, o servidor do Poder Judiciário Federal ainda recebe auxílio pré-escolar, auxílio creche e adicional de qualificação por especialização, mestrado ou doutorado, plano de saúde etc.

Listei oito motivos para você se dedicar ao máximo a essa prova. Não tenho a intenção de mudar o foco de ninguém, mas digo com propriedade que, é certo que você só tem a ganhar ao se preparar para esse concurso. Na pior das hipóteses, você terá evoluído bastante em algumas das principais matérias do seu concurso e treinado a forma de cobrança de uma das bancas mais importantes do Brasil (FCC). Mas veja: essa é uma recomendação para quem está estudando há pelo menos alguns meses; quem está começando agora e nunca teve contato com essas matérias antes deve seguir um plano de médio prazo para ter mais qualidade na prepração.

Por fim: se você for formado em Direito, você tem a obrigação de fazer essa prova! No eBook, eu explico como estudar. Tive dois alunos aprovados para AJAJ do MPU usando essas técnicas! (e 6 aprovados como Técnico!)

Caso tenha interesse em “embarcar” nessa aventura, preparei um material especial para orientar os alunos que estão dispostos a focar esses próximos 2 meses numa Preparação Relâmpago rumo ao fantástico mundo do serviço público federal e, principalmente, sair dessa vida bandida que é estudar para concurso:

Ebook TRF4 Preparação Relâmpago

Grande abraço e até a próxima!

Deixe seu comentário Um comentário

  • Rangell Oliveira disse:

    Belo conteúdo Diogo, parabéns
    Atualmente estou há quase 1 ano estudando para concursos e ajustei o foco para esse concurso. Sou servidor do Executivo atualmente faz 6 anos. Apesar de achar que tenho uma chance, algo me preocupa muito: assédio moral. Ainda mais em virtude dos membros do PJ terem garantias e tal. Esta preocupação me faz desanimar e ter medo de estudar e me frustar enormemente no futuro com isso, pois já sofri assédio moral no meu atual órgão por 3 anos e não foi nada bom. No geral consigo me motivar bem e concentrar nos estudos, mas ultimamente está meio difícil lidar. A pessoa passar por um esforço desse para depois ser constrangida no serviço é fogo! como fazer? Abraços

Deixar comentário