Skip to main content

A vida está passando enquanto você estuda.

Olá! Meu nome é Diogo Moreira, sou Auditor Fiscal da Receita Federal e estou aqui para te ajudar a sair dessa “vida bandida” que é estudar para concurso.

 

A vida está passando enquanto você estuda.

 

Bom, eu já disse que estou aqui para te ajudar a sair dessa “vida bandida” que é estudar para concurso. E por falar em vida bandida, nesse texto responderei a mensagem de um seguidor que diz que a vida está passando e ele está estudando para concurso.

Ele vê todos os amigos e parentes se ajeitando e sente que não está saindo do lugar. Pergunta ainda como fazer para lidar com essa pressão. Se você também passa ou já passou por isso, eu espero que esse texto te ajude um pouquinho. Vale a pena conferir. Vamos lá.

Muito legal. Lerei seu texto rapidamente. Você disse que sua maior dificuldade nos estudos é a pressão psicológica que põe sobre si mesmo. Isso é muito importante. Já está claro aqui que a pressão vem de você. Então é algo que você deve buscar resolver agora consigo mesmo. Também me identifiquei um pouco com sua história.

Você disse que tanto pelo fato de ser meio antissocial quanto por ver a vida passar e se sentir parado. Vê os amigos e as pessoas próximas se casando, vivendo a vida, se resolvendo no lado profissional – em alguma empresa etc – como pela pressão resultante da diferença entre o resultado efetivo e o resultado esperado.

 

O resultado esperado é a aprovação e o resultado efetivo é muita reprovação.

 

É sempre assim. Sempre somos reprovados muitas vezes até conseguirmos a aprovação. Você não terá o resultado efetivo enquanto não for aprovado. E essa aprovação não vem aos poucos.

A sua família não te olhará cada vez mais como “ele está cada vez mais aprovado!” Não funciona assim, é o contrário. A sua família – ou pelo menos você – te enxergará de forma cada vez pior até que um dia você passe.

E aí você será um aprovado, um concursado. A situação não melhora, mas tende a piorar. E você precisa saber lidar com isso. Você disse que trabalha de segunda a sexta o dia inteiro, não tem filhos, mora com seus pais e tem vinte e seis anos. Estuda matérias da área fiscal mas gostaria de estudar para Analista da CVM.

Eu larguei meu emprego. Então a minha pressão era ainda maior do que a sua. Eu estava dentro de casa. Morava com os meus pais dentro de casa. Eu também tinha vinte e seis anos quando fui aprovado. Também não tinha filhos. Então a minha pressão era ainda maior. Larguei o emprego para estudar para concurso. Ainda estava estudando.

 

Com vinte e seis anos não sabemos nada de coisa nenhuma.

 

Absolutamente nada. Com vinte e seis anos eu passei num concurso e era um garoto. Eu noivei naquela época com a minha namorada. Estávamos juntos há quatro anos. Não é minha atual esposa. Depois terminei o noivado. Com vinte e seis anos eu não sabia nada da vida. Nada.

Eu passei em um concurso e fui morar no Chuí com vinte e sete anos. Terminei o noivado com a mesma idade. Vim para Brasília e comecei a aproveitar a vida. Eu aproveitei a vida dos vinte e oito aos trinta anos. Depois eu casei. Que minha esposa não veja esse vídeo – estou brincando.

Dos vinte e oito aos trinta conheci vários continentes. Dezenas de países, conheci muitas pessoas, aprendi várias coisas novas, aprendi novos esportes, aprendi a tocar violão, aprendi várias coisas. Eu considero que só aos trinta virei uma pessoa de verdade. E tudo que eu achava que sabia aos vinte e seis estava errado.

Eu achava que já sabia sobre vida, sobre relacionamentos, sobre família e sobre amizade. Eu não sabia nada. Eu não conhecia o mundo nem as pessoas. Simplesmente achava que sabia. Então foi isso que quis dizer quando falei que com vinte e seis não sabemos de nada.

 

É muito cedo para você se cobrar desse modo.

 

Hoje eu tenho trinta e cinco e me considero mais experiente. Já experimentei muitas coisas na vida, já conheci muitas coisas e ainda tenho muitos planos daqui para frente – profissionais e pessoais. Eu tenho planos para quando tiver quarenta anos. Enfim, a vida está só começando.

Reduza a pressão sobre si mesmo. Se você passar no concurso com trinta e cinco, será um cara fantástico de trinta e cinco. Se for aprovado com trinta e cinco, sua vida mudará de repente. Se você passar com vinte e sete ou vinte e oito anos, então maravilha.

Mas o que quero te dizer é: depois que você for aprovado, tiver o concurso dos seus sonhos, o cargo que quer, terá mais confiança, mais dinheiro, será dono do seu próprio nariz, estará realizado. Você poderá buscar outras coisas, outras diversões, outras fontes de lazer.

E você aprenderá mais. E observará toda aquela galera. Quem já estava casado desde cedo, por exemplo, verá vários casamentos terminarem, porque esse povo casou cedo demais. Verá que as pessoas estão vivendo a vida, mas com pouco dinheiro – você terá mais dinheiro e viagens muito mais legais.

Verá as pessoas que resolveram a vida profissional em alguma empresa perdendo o emprego e resolvendo estudar para concurso. E verá que toda aquela ideia que tinha no passado de que as pessoas estão resolvidas era somente uma ilusão.

 

Cada um tem o seu drama, cada um carrega a sua cruz e tem as suas dificuldades.

 

E dificilmente as pessoas deixam que as outras vejam as suas angústias e dificuldades. Não compare o seu bastidor com o palco dos outros. É uma frase bastante famosa, recentemente, e é muito verdadeira.

Olhe para a sua vida. Pense que você está abrindo mão de viver várias coisas, mas que ainda tem muitos anos pela frente. Nossa geração viverá até os cento e vinte ou cento e trinta anos de idade. Há muita coisa para aprender e para descobrir.

E depois que você for concursado terá mais dinheiro, será mais bonito, mais interessante, mais engraçado, mais tudo. Porque depois que somos aprovados – quando temos dinheiro e confiança – nos tornamos pessoas melhores.

Para finalizar, não há notícia para Analista da CVM. Eu acho que você está bem estudando para a área fiscal. Quando começarem os boatos da CVM você se voltará para essa prova. Por enquanto, tente outras provas para manter a motivação.

 

 

SAIBA MAIS:

Concurso SEFAZ-Amapá! Banca escolhida. Análise do edital 2010!

Nunca leia a matéria toda duas vezes.

Concurso TJ PI! Análise do edital e dicas de estudo!

 

E se você quiser conferir mais dicas sobre concursos como essa, coloque o seu e-mail no campo “Receba novidades” no final desta página, para receber novas informações semanalmente.

Me siga nas redes sociais para acompanhar mais conteúdo a respeito de concursos públicos!

Muito obrigado e até a próxima!

 

Compartilhe este post por meio dos links abaixo:

Deixe seu comentário 2 comentários

  • jacqueline de assuncao soares disse:

    “O resultado esperado é a aprovação e o resultado efetivo é muita reprovação”. Essa frase foi um alento só. Obrigada pelo texto, Professor, com ele pude perceber que as angustias são muito parecidas e que, sim, podemos diminuir a pressão que fazemos sobre nós mesmos.

  • Simone disse:

    Eu me vi muito nessa história. E me emocionei. LInda reflexão.

Deixar comentário

Quer receber mais informações e ajuda sobre este e outros concursos?