A MELHOR meta de ESTUDOS para 2020!

Por 13/01/2020 janeiro 14th, 2020 Técnicas, Videos

Olá! Meu nome é Diogo Moreira, sou Auditor Fiscal da Receita Federal e estou aqui para te ajudar a sair dessa “vida bandida” que é estudar para concurso.

Qual a melhor meta de estudos que você pode traçar? Seria quantidade de horas estudadas por dia? Quantidade de páginas lidas por hora? Quantidade ou ritmo de questões feitas por hora? Ou percentual de acertos?

 

Qual a melhor forma de traçar uma meta? Qual a melhor meta? Como alcançá-la?

 

Todo começo de ano queremos fazer melhor e diferente e fica difícil fazer um ano melhor se não soubermos onde queremos chegar. Traçar metas é fundamental. Qual a meta que você que estuda para concursos, vestibular ou algo semelhante deve traçar? O que funciona melhor?

Todos querem ler mais horas por dia, ler mais páginas por hora, fazer ou acertar mais questões. O que é mais quantitativo e o que é que permite que você corra atrás do resultado? Sua meta deve ser algo que você deseja e que, ao mesmo tempo, seja alcançável, ela não pode ser consequência de uma outra coisa.

Então, vamos analisar! Essa é uma pergunta que tenho recebido recentemente e vou lhe ajudar a traçar uma boa meta para o ano que começa. Quantidade de horas estudadas por dia é algo muito importante. Você tem que estudar o máximo que puder de forma sustentável. Leve isso sempre em consideração.

Não é para você morrer de estudar, chegar à exaustão e cair duro no chão babando. Identifique o seu ponto ótimo, ou seja, o máximo que conseguir sendo uma pessoa normal sem crise existencial ou física.

Quantidade de horas estudadas no dia é muito legal, mas isso tem um limite e esse limite não é muito longe. Se você tem um dia inteiro para estudar e estuda 4 ou 5 horas líquidas por dia, então você pode não estar tão longe assim do seu limite.

Eu tinha largado o emprego para estudar e, dentro de casa, comecei fazendo 4 horas líquidas por dia, fui aumentando aos poucos até alcançar 6 horas líquidas. Eu não conseguia fazer mais do que 6 horas líquidas por dia e me sentia bem.

 

Eu encontrei o meu limite.

 

Tem gente que fica só em casa estudando e faz 7, 8 ou 9 horas líquidas de estudo. Cada um conhece a sua realidade e sabe do que é capaz. Não interessa se a pessoa está fazendo ou não, faça o que funciona para você. A caminhada é longa e você tem que cumprir isso de uma forma sustentável.

A quantidade de horas estudadas por dia não é uma meta muito boa porque você tem que estudar no seu ponto ótimo e, você vai identificá-lo na prática. Essa semana, faça 4 horas por dia, semana que vem tente fazer 4 horas e meia por dia, na terceira, faça 5 horas por dia.

Se não conseguir fazer as 5 horas porque ficou cansado, atrapalhou, ou dormiu mal, então volte para as 4 horas e meia por dia. Identifique seu ponto ótimo. Não adianta você querer estudar 6 horas líquidas por dia, pois pode não ser uma carga horária suficiente para você.

Na minha opinião, vá sempre aumentando a carga horária, mas sempre respeitando o seu limite. Essa não é uma boa meta para o ano. A quantidade de páginas lidas por hora é um pouco mais interessante. Todo mundo tem seu ritmo de leitura, mas dá para melhorar na maioria das vezes.

Se você estiver lendo em voz alta, pare agora! Não leia em voz alta. Se você não estuda há dez anos e está começando desde a semana passada e está nos primeiros dias, tudo bem. Vai lhe ajudar um pouquinho na concentração.

 

Mas esse é um vício muito negativo porque vai lhe atrapalhar no ritmo de leitura.

 

Falamos em uma velocidade, mas lemos em uma velocidade muito maior. Não leia em voz alta! Force um pouco, tente se desafiar a ler um pouco mais rápido. É algo do dia a dia e quando você se distrair na leitura normal, dê uma acelerada. Se você se distrair de novo, acelere novamente.

Aos poucos, você se acostumará a fazer uma leitura um pouco mais rápida. Uma técnica que não é muito acessível e que funciona é ouvir um áudio livro, ler ao mesmo tempo e acelerar o áudio livro. É difícil, pois depende do livro e de onde achá-lo. Não esquente muito com isso, mas se tiver recursos para isso, tente.

Caso contrário, sua força de vontade de ler mais rápido diariamente vai ser suficiente. Hoje a maioria dos estudantes para concurso utiliza pdf´s de cursinhos on line e um bom ritmo de leitura é, no mínimo, 10 páginas por hora. Fica esse patamar para você alcançar se estiver abaixo disso, acima disso já está bom. Tem gente que lê 15 páginas por hora ou até mais do que isso, mas não precisa.

O importante é manter, no mínimo, 10 páginas por hora. Se você estiver estudando 6 ou 7 páginas por hora, é possível que você encontre dificuldades no futuro porque você está avançando muito devagar, ou seja, vai demorar terminar a leitura de algumas matérias, e isso vai gerar problemas.

Com isso, você precisará revisar as aulas iniciais, de sorte que, tomará tempo e atrasará o término do seu curso. Isso vira uma bola de neve. Faça uma força e tente manter 10 páginas por hora. Quantidade de questões feitas por hora é uma métrica razoável, fundamental no dia da prova, mas existe um limite que você consegue aumentar em relação a isso.

Varia de matéria para matéria, varia de banca para banca. Em uma questão do Cespe, por exemplo, é apenas uma assertiva e, em 20 ou 30 segundos, é possível respondê-la. Questão de português da FCC demora muito mais. Uma questão de exatas ou contabilidade também demora.

Então, varia muito e fica difícil ter uma meta de, por exemplo, 40 segundos por questão Cespe de direito. Isso começa a ser complexo e não acho uma boa ideia. Não fique também tempo demais preso em uma questão, especialmente no dia da prova. Essa é uma dica fundamental. No dia da prova, se você não souber a questão, circule e siga adiante.

 

Se der tempo, volte na questão.

 

Algo que lhe ajuda no dia da prova é colocar um “f” na frente da alternativa que você sabe que está falsa. Caso você tenha que reler depois, não precisará reler essas alternativas marcadas. Se tiver que chutar, olhará para as alternativas “a” e “b”, por exemplo, e terá certeza de que elas não serão as verdadeiras.

Isso aumenta suas chances de acertar a questão. Existe a possibilidade de traçar como meta o seu percentual de acertos. “Diogo, quero chegar a 80% ou 85% de acertos em todas as matérias.” Esse é seu objetivo de vida como concurseiro! Não é só uma meta para esse ano. Isso é complicado porque vai oscilar de matéria para matéria.

Tem gente que tem mais facilidade em um certo tipo de matéria como direitos, por exemplo, outros tem mais facilidade em exatas. Então, fica difícil estabelecer um percentual de acertos ideal. Eu, por exemplo, estudei apenas 9 meses para ser aprovado como Auditor da Receita Federal.

Foi corrido e não deu tempo de ficar melhorando muita coisa. Entretanto, fiz o melhor que pude, realizei muitas questões e fui avançando na matéria. Em contabilidade, por exemplo, nunca tive a presunção de dominá-la, mas fui aprendendo e fazendo questões e, naquilo em que estava muito mal, deixava para revisar depois.

Na prova, acertei 70% das questões de contabilidade (não é um percentual de acertos fantástico, mas foi suficiente para ser aprovado). Em outras matérias que tinha mais facilidade, meu percentual de acertos foi muito melhor.

Se nenhuma dessas metas é uma boa meta de se traçar para o ano porque possuem muitas variáveis, então, qual seria a melhor meta? Na minha opinião, a meta que você tem que correr atrás é a meta diária. É você cumprir o seu planejamento diário.

Todos os dias, dê aquele check em tudo que você tinha que fazer e foi feito, ou seja, o dia não foi perdido. Existe a regra de dois dias criada por um youtuber: você nunca pode falhar dois dias seguidos. Seja na alimentação, seja faltar na musculação ou algo assim.

É uma boa regra a ser seguida, mas pense, grave e escreva isso: a meta mais importante que tenho para o ano de 2020 é cumprir a minha meta diária. Faça cada dia da forma que você tem que fazer. Não diria da melhor forma possível, mas cumpra a sua meta.

 

Se você tiver que estudar 3 matérias com 90 minutos cada, faça. Se nesse dia tiver que treinar questões, faça.

 

Se era uma discursiva que você tinha que fazer, faça. Nada vai lhe dar maior capacidade como concurseiro, nada vai aumentar mais o seu desempenho ou percentual de acertos ou quantidade de páginas lidas por hora ou quantidade de horas estudadas no dia do que focar em fazer cada dia da melhor forma possível.

Pegue seu quadro semanal ou mensal, coloque todos os dias e se preocupe em dar aquele check de que aquele dia foi cumprido da melhor forma possível. Se não foi 100%, que seja então 85% ou 90%.

Se você olhar para trás e enxergar seu calendário com metas cumpridas quase todos os dias, eu lhe garanto que um dia a aprovação vai chegar para você.

 

 

SAIBA MAIS:

Concurso PCDF: Prova de Agente será parecida com a de Escrivão?

Estudar para concursos da Área Fiscal permite fazer qualquer outra prova?

Ciclo de estudos e revisão periódica: rápidos e eficazes!

 

E se você quiser conferir mais dicas sobre concursos como essa, coloque o seu e-mail no campo “Receba novidades” no final desta página, para receber novas informações semanalmente.

Me siga nas redes sociais para acompanhar mais conteúdo a respeito de concursos públicos!

Muito obrigado e até a próxima!

 

Compartilhe este post por meio dos links abaixo:

Deixe seu comentário Um comentário

Deixar comentário