Assuma as rédeas da sua vida e faça seus estudos melhorarem

 

Olá! Meu nome é Diogo Moreira, sou Auditor-Fiscal da Receita Federal e estou aqui para te ajudar a sair dessa “vida bandida” que é estudar para concursos.

Eu li um livro recentemente sobre liderança chamado “Extreme Ownership”, ownership no sentido de propriedade, de você ser o dono e extreme no sentido de levar isso ao extremo, ou seja, você é o dono de tudo o que acontece na sua vida.

Esse livro fala sobre liderança, mas se adequa a tudo o que diz respeito a nossa vida, a tudo que nos afeta, a tudo que podemos tentar controlar ou a reagir de alguma forma.

Ter uma postura como essa vai torná-lo uma pessoa melhor e, claro, um estudante melhor.

O autor do livro, Jocko Willink, é um Navy Seal da elite do exército americano. Ele traçou todas essas técnicas e testou tudo em combate, onde tudo tem que ser muito bem planejado antecipadamente e pós avaliado para verificar se deu certo ou não e onde as vidas humanas estão em risco.

Ele traz diversas técnicas sobre liderança e de como cuidar do seu grupo, mas na base disso tudo existe uma característica pessoal que vai fazer com que você atue melhor em diversos aspectos da sua vida.

 

Isso é o Extreme Ownership, é você ser responsável e aceitar a responsabilidade sobre tudo que acontece na sua vida. Encarar como se cada acontecimento fosse culpa sua ou então que estivesse sobre seu poder.

 

A parte mais difícil dessa técnica é você deixar o seu ego de lado.

 

Quando você assume responsabilidade você traz para si a culpa. Basicamente você diz: “ok, isso foi culpa minha, eu poderia ter feito de forma diferente”.

Às vezes, outra pessoa faz algo completamente louco, fora de controle, mas você tem que assumir sua responsabilidade, “isso é culpa e responsabilidade minha, deveria ter agido de outra forma”.

Adivinhe, em 99% das vezes isso é verdade.

Não que a culpa seja exclusivamente sua, mas sempre tem algo que você poderia ter feito de diferente ou que possa a vir a ser feito de forma diferente a partir de agora.

No exemplo do livro, quando um subalterno age mal contra aquilo que era esperado dele, contra a atribuição do emprego, o chefe é o culpado. O chefe tem que ter essa característica de extreme ownership e dizer: a responsabilidade é minha.

O subalterno pode ter feito algo completamente louco, fora do bom senso e ninguém esperava que ele viesse a fazer algo desse tipo.

Mas se o chefe parar para pensar: “Porque ele fez isso? O que eu poderia ter feito de diferente que evitaria esse tipo de comportamento? Comunicar-me melhor? Explicar melhor como funciona a empresa inteira, cada setor, como cada setor se comunica, como um serviço é prestado, de que forma a empresa faz o pós-venda? Se eu o tivesse tratado de uma outra forma e deixado claro o que estamos fazendo nesse lugar, então ele não agiria dessa forma.”

Essa postura de assumir a responsabilidade faz com que o chefe traga novas formas de receber os novos subalternos ou funcionários e passe a eles essa nova visão geral da empresa.

Da mesma forma, você pode ser um concurseiro estudando em casa sozinho, ninguém tem nada a ver com sua vida, mas seu pai não te deixa em paz. Cada vez que você sai para fazer um lanche ele fala uma gracinha. Cada vez que você não estuda por algum motivo ele joga na sua cara e no fundo ele não aceita essa sua ideia de querer ser servidor público.

Adivinhe: a culpa é sua.

Assumir que a responsabilidade é sua nesse caso pode te levar a adotar outras medidas, seja estudar fora de casa e só entrar em casa para comer, dormir seja falar com seu pai e informá-lo: “está vendo essa vida que você leva, ou seja, de “merda”? Eu quero levar uma vida melhor, existe uma forma de fazer isso que é passar em concurso. Eu estou agindo, lendo esses livros, foram cento e setenta mil inscritos no último concurso para duzentas vagas e tenho que ser um deles e eu vou ficar enfiado naquele quarto estudando porque eu quero garantir um futuro melhor para mim e para os meus filhos que eu ainda nem tenho”.

Assumindo a responsabilidade dessa forma, você está gerando um canal de comunicação.

Não é garantia que vai dar certo, ele pode simplesmente te mandar para “aquele lugar” ou começar a bater em você, mas existe uma grande chance de você estar eliminando o vácuo de comunicação.

Normalmente, a grande causa dos problemas de relacionamento é quando uma pessoa pensa de uma maneira e a outra pensa de outra maneira e nenhuma faz a menor ideia do que a outra está pensando.

Outro exemplo seria o barulho que sempre lhe incomoda, você pode reclamar com seu vizinho ou buscar um tampão de ouvido ou ir para uma biblioteca, mas o que você não pode é dizer: “ai meu Deus, veja que essa pessoa não para de fazer barulho, o meu estudo podia render muito mais, que droga, eu sou um desfavorecido, que azar.”

Esse último tipo de postura é que não vai te levar a crescimento nenhum.

Pare para listar todos os problemas, obstáculos e dificuldades que estão surgindo e busque assumir a responsabilidade sobre eles. O que eu poderia fazer de diferente sobre essa pessoa, sobre esse problema ou sobre essa situação?

Eu lhe garanto que vão surgir coisas diferentes para você fazer ou tentar.

 

Mesmo que no fundo não tenha absolutamente mais nada que você possa fazer, existe uma última atitude: reagir de uma forma diferente.

 

Você pode controlar a forma que você reage a um problema, a um parente que não te ajuda ou a um vizinho insuportável.

Controlando a sua reação muitas vezes você elimina o problema, ele deixa de te incomodar, deixa de ser uma causa diária de frustração e estresse e passa a ser algo com o qual você convive bem.

No mínimo você tem total responsabilidade sobre si mesmo.

 

Sempre tenha uma postura decisiva. Tome decisão. Assuma para você a responsabilidade de tomar a decisão e tome. Mesmo que você não tenha certeza total de qual será o resultado, se funcionará ou não.

 

Com relação aos seus estudos, existem diversas técnicas de estudo. Procure alguém que você confia (o Diogo, óbvio), veja quais técnicas que ele ensina e fale a si mesmo: “Vou estudar dessa forma”. Siga aquele plano e seja decisivo.

Entenda que aquela máxima é verdadeira: disciplina é liberdade.

Se você for disciplinado, tiver organização, tiver um estudo bem planejado, souber como fará suas revisões, ou para qualquer outro projeto na sua vida, se tiver os passos a, b e c e uma rotina bem estruturada, que não precisa ser nada genial, mas que esteja no papel ou pelo menos muito bem definida, então você vai ganhar liberdade.

Nada traz mais angústia para o estudante do que acordar pela manhã e não saber o que vai estudar, de que forma, qual matéria, se revisa “x” ou “y”.

Por isso bato na tecla sobre o Ciclo de Estudos, você simplesmente acorda e executa um plano com revisões periódicas, quais páginas e de que forma será essa revisão.

 

ESTUDE COMIGO DURANTE 12 MESES!

O Coaching (mentoria ou consultoria) é um atendimento em grupo. Eu faço o seu planejamento de estudos inicial, dou acesso a dezenas de vídeos exclusivos com técnicas de estudo e abro espaço para todos os alunos conversarem e trocarem experiências de como estão estudando. CLIQUE AQUI para saber mais!

 

 

E-BOOK GRÁTIS – 9 PASSOS QUE ME LEVARAM À APROVAÇÃO EM 9 MESES

Neste eBook, conto minha trajetória e explico passo a passo o que você deve fazer para extrair o máximo dos seus estudos para concursos públicos:

9 PASSOS QUE ME LEVARAM À APROVAÇÃO EM 9 MESES

 

SAIBA MAIS:

MUITO TEMPO SEM ESTUDAR? VEJA COMO RETOMAR

COMO COLOCAR AS REVISÕES EM DIA

REESTRUTURAÇÃO DA RECEITA FEDERAL

E se você quiser conferir mais dicas sobre concursos como essa, coloque o seu e-mail no campo “Receba novidades” no final desta página, para receber novas informações semanalmente.

Me siga nas redes sociais para acompanhar mais conteúdo a respeito de concursos públicos!

Muito obrigado e até a próxima!

 

Compartilhe este post por meio dos links abaixo:

Deixar comentário