Skip to main content

Como inserir matéria nova no ciclo de estudo

Por 29/01/2018janeiro 18th, 2019Dicas, Técnicas, Videos

Olá, meu nome é Diogo Moreira, sou Auditor-Fiscal da Receita Federal e estou aqui para te ajudar a sair dessa “vida bandida” que é estudar para concursos!

Inserir matérias novas no ciclo de estudo é sempre um desafio. Todos sabemos que devemos começar com algumas (e não todas) as matérias do concurso.

Mas em que momento devem entrar as matérias novas? Colocar quantas delas? E o que fazer com as matérias que chegam ao fim? Confira essas e outras dicas!

 

Quando inserir matérias novas no meu ciclo de estudos?

 

Essa é uma pergunta frequente.

A gente tem muita matéria para estudar para concurso, às vezes parece que não tem fim, e você está aí há meses num grupinho de matérias, olha para o lado e vê que tem muitas outras para estudar ainda.

E aí? Quando é que você insere essas matérias? É bom colocar logo para já ir andando um pouco nelas?

É bom terminar as que você está estudando para deixar para colocar elas só depois? De que forma a coisa flui melhor?

A técnica que eu considero mais adequada é: você pegar um grupo pequeno de matérias, 6 matérias geralmente, avançar nessas matérias com qualidade, fazendo revisões, tocando o barco ali, crescendo o conhecimento nessas matérias, e, só depois que você terminá-las, você deve inserir matérias nova.

De uma forma geral, na Receita Federal, a gente tem 6 matérias básicas na área fiscal. Quando você termina 1 ou 2 delas, você reduz a carga horária dessas matérias que chegaram ao fim, colocam elas no modo revisão e insere uma matéria nova.

 

O que significa colocar uma matéria em modo revisão?

 

Depende do estágio em que você está.

Normalmente, depois que se termina de ler uma matéria, oriento meus alunos do coaching para revisar essa matéria inteira rapidamente via questões. Eles pegam todas as questões do final da aula e fazem todas de novo, para dar uma revisão rápida.

Se você parar para rever todas as suas marcações, o processo é mais lento, você vai ficar muito tempo sem ver alguns trechos das matérias. Quando você passa para essa fase de refazer essas questões, você já pode sim reduzir a carga horária da matéria.

Então, se você via a matéria 3 vezes na semana, 60, 90 minutos cada vez, você pode reduzir para 2 vezes, porque, em 1 hora, você consegue fazer muitas questões. Às vezes, todas as questões de uma aula ou de algum capítulo específico.

Ali, você reduziu a carga horária da matéria e liberou espaço. Quando você termina uma segunda matéria você faz a mesma coisa. Reduzindo as duas matérias, você libera dois espaços no seu ciclo e aí sim você pode inserir uma matéria nova.

Porque o ideal é você ver a matéria pelo menos 2 vezes na semana, ficar vendo 1 vez só não é muito legal. Então, terminando 2 matérias, você libera 2 espaços e consegue inserir uma matéria nova. Ela vai começar ali 2 vezes na semana, o avanço vai ser um pouquinho menor, mas, normalmente, as 6 matérias iniciais, são as maiores, são as mais importantes.

Elas demoram mais para chegar ao fim, mas as matérias seguintes precisam inclusive de menos tempo. Elas são menores em extensão e, às vezes, em grau de dificuldade também.

 

“Ah, Diogo, eu estou estudando aqui 6 matérias básicas da área fiscal há décadas, eu não consigo sair delas, eu preciso ver uma matéria nova, por favor deixa eu inserir uma auditoria, um Comércio Internacional, alguma coisa assim?”

 

Eu não recomendo. Eu recomendo que você termine alguma das 6. Por quê? Você está avançando em 6 matérias, vamos dizer que você está num ritmo “X”. Quando você insere outras matérias, você vai começar a andar nelas, mas todas as 6 iniciais vão diminuir de ritmo.

Se você insere uma 7ª matéria, por exemplo, ao invés de você estudar em um ritmo X, essas outras matérias vão cair para 85% de X.

Simplificando a coisa: não adianta! Se você colocar mais matérias, achando que vai avançar mais rápido, afinal está vendo mais matérias, na verdade você está reduzindo a velocidade de todas as outras e isso não é legal.

A não ser, é claro, que você aumente a sua carga horária diária.

 

“Diogo, ao invés de diminuir as outras, eu vou enfiar mais 1 hora na terça, e 1 hora na sexta.”

 

Ok! Mas, se você pode fazer isso, seguem duas perguntas:

  1. Por quê que você já não fez isso?
  2. Por quê que você não pega essas horas extras e distribui para as matérias que você já está estudando?

Eu prefiro fazer isso. Tanto que muitas vezes um aluno meu termina 1 ou 2 matérias do ciclo básico da área fiscal, por exemplo, e, em vez de inserir uma 7ª matéria, eu falo para ele, “pô, vamos por um gás aqui em Direito Administrativo então. Essa matéria está mais lenta, ela é mais extensa…”.

Ou então, vamos distribuir, liberou esses dois dias, ou conseguiu colocar 2 horas a mais na semana, vamos dar 1 para Direito Administrativo e 1 para Direito Constitucional.

Vamos avançar nessas matérias.

Porque é o que eu falei: quando você termina uma matéria, você coloca ela no modo revisão, ela consome muito menos tempo da sua semana. Você abre espaço para inserir outras matérias.

 

E, diga-se de passagem, chegar no modo revisão de uma matéria, é muito bom!

 

Eu gosto de dizer que o estudo é como se fosse um processo em camadas.

Você tem uma leitura inicial, você faz revisões periódicas, quando você termina uma matéria, você faz uma nova revisão via questões, depois você faz revisões focadas nas suas dificuldades.

A coisa vai progredindo, você vai adicionando camadas de conhecimento cada vez que você passa pela matéria.

Claro, desde que você faça com planejamento e de uma forma organizada. Se não, se a coisa for toda desorganizada, em vez de você adicionar uma camada, você vai trocar uma coisa por outra.

Entra um conhecimento novo e você está esquecendo um conhecimento velho que você não revisa há muito tempo.

E, claro, o modo revisão ele passa a ser cada vez mais focado nas suas dificuldades. Você não tem que ficar revisando a matéria inteira para sempre. Boa parte dela é fácil, boa parte dela você já aprendeu.

A ideia é que você passe a focar cada vez mais em suas dificuldades, nas decorebas, naquilo que possa te trazer um pontinho novo.

 

“Diogo, e as partes antigas, as partes fáceis? Se eu não revisar nunca mais, eu vou esquecer.”

 

Você vai revisar esses assuntos via questões. A ideia é que você tenha sempre um tempo na sua semana, depois de ter terminado de estudar a matéria toda, para ficar refazendo questões, questões aleatórias, questões da banca, questões antigas, novas, enfim.

Quando você faz muitas questões da matéria, você, fatalmente, acaba revisando diversos aspectos, diversos assuntos dela, de uma forma quase que aleatória.

Então, você tem contato com muitas coisas. E, especialmente, tem mais contato com aquilo que é cobrado com mais frequência.

Inserir uma matéria nova não é uma coisa complexa, mas também não existe uma fórmula mágica. Aqui eu passo sugestões, dicas, mas, no final das contas, quem vai analisar a situação é você.

De qualquer modo, tenha isso em mente: é muito interessante terminar as matérias e colocar elas no modo revisão. Então, se você tiver terminado uma ou duas matérias, e estiver atrasado nas outras, joga a carga horária para elas.

Se você estiver tranquilo, se todas as outras matérias também estão quase chegando no fim, você vai inserindo matéria nova.

Vá aos poucos. A cada matéria que você terminar, uma ou duas matérias que você terminar, você insere uma matéria nova e vai fazendo seu ciclo rodar.

 

ESTUDE COMIGO DURANTE 12 MESES!

 

O Coaching (mentoria ou consultoria) é um atendimento em grupo. Eu faço o seu planejamento de estudos inicial, dou acesso a dezenas de vídeos exclusivos com técnicas de estudo e abro espaço para todos os alunos conversarem e trocarem experiências de como estão estudando. CLIQUE AQUI para saber mais!

 

 

E-BOOK GRÁTIS – 9 PASSOS QUE ME LEVARAM À APROVAÇÃO EM 9 MESES

 

Neste eBook, conto minha trajetória e explico passo a passo o que você deve fazer para extrair o máximo dos seus estudos para concursos públicos:

 

9 PASSOS QUE ME LEVARAM À APROVAÇÃO EM 9 MESES

 

SAIBA MAIS:

 

MELHORES TÉCNICAS DE ESTUDOS PARA CONCURSO

DEVO MANTER OS ESTUDOS EM SEGREDO?

 

E se você quiser conferir mais dicas sobre concursos como essa, coloque o seu e-mail no campo “Receba novidades” no final desta página, para receber novas postagens.

Me siga nas redes sociais para acompanhar mais conteúdo a respeito de concursos públicos.

Muito obrigado e até a próxima!

 

Compartilhe este post por meio dos links abaixo:

Deixar comentário

Quer receber mais informações e ajuda sobre este e outros concursos?