Pare de perder tempo! (a Lei de Parkinson atrapalha seus estudos!)

Por 20/01/2020 janeiro 22nd, 2020 Dicas, Videos

Olá! Meu nome é Diogo Moreira, sou Auditor Fiscal da Receita Federal e estou aqui para te ajudar a sair dessa “vida bandida” que é estudar para concurso.

A Lei de Parkinson nos estudos. Esse é o caminho para você demorar a cumprir ou não sua meta ou, principalmente, deixá-la para a última hora.

 

O que é a Lei de Parkinson e o que você faz para vencê-la?

 

A Lei de Parkinson diz que qualquer empreendimento ou algo que fizer vai se expandir para ocupar o tempo total disponível que você tem para realizá-lo. Se você tem uma semana para levar o carro ao conserto, provavelmente o levará no final de semana.

Se você tem “x” horas para escrever um texto pequenininho, você demorará horas para escrevê-lo. Qualquer coisa que você fizer demorará o máximo possível e você terminará aos 45 minutos do segundo tempo.

Isso também é válido para o estudo para concursos e acontece com quem tem o dia inteiro disponível para estudar e, também, com aqueles que tem uma noite inteira com meta de 2 a 3 horas de estudos por dia.

A tarefa vai ficando para o final do dia e, quando vê que quase não dará tempo, termina no finalzinho ou, às vezes, vai além do horário planejado que você tinha para estudar. A Lei de Parkinson faz com que você gaste todo o tempo disponível para fazer as tarefas na correria, mal feita e em cima da hora.

Eu, por exemplo, quando estudava para concurso, tinha o dia inteiro disponível. Estava em casa porque tinha largado o emprego, então podia estudar o dia inteiro e a qualquer hora. Quando você vê, percebe que começa a estudar na metade da manhã, às vezes, perto da hora do almoço.

Faz o horário do almoço um pouco mais alongado, volta para os estudos no meio da tarde e, já não está tão bem, começa a entrar pela noite, acabando às 21 horas e verifica que fez apenas 4 ou 5 horas líquidas e se pergunta: “Como? Se eu tinha o dia inteiro disponível, como parei aqui?”

 

Na verdade, você não consegue quebrar essa lei porque é uma lei do universo.

 

O que dá para fazer é enganá-la para tentar se livrar dela de alguma forma utilizando subterfúgios. Quando eu estudava não conhecia essa lei, mas arrumei uma solução que é exatamente o que você faz para se livrar dela. 

Você começa a estabelecer limites intradiários, por exemplo, se estiver querendo controlar sua quantidade de horas estudadas por dia. Se você tem o dia inteiro e tem que fazer 6 horas líquidas (que era o meu caso pré-edital), estabeleça fazer, no mínimo, 3 horas líquidas pela manhã e 3 horas líquidas à tarde para às 18 horas parar de estudar.

Não gostava de estudar à noite, me fazia muito mal e não conseguia fazer mais do que 6 horas líquidas porque ficava muito cansado no dia seguinte. Só isso não é suficiente. Se você tem que fazer 3 horas líquidas pela manhã (a manhã é muito grande) e acorda, toma café e, quando vê, já são 9 horas e 30 minutos, ou seja, não dá mais para fazer 3 horas líquidas até o meio dia.

Lembrando que existe uma diferença entre horas líquidas e horas brutas de estudo. Horas líquidas giram em torno de 75% das horas brutas, ou seja, se você quiser fazer 3 horas líquidas pela manhã, você precisa de praticamente 4 horas brutas de estudo.

 

Se você quiser parar meio dia, você tem que começar, no máximo, às 8 horas.

 

Foi isso que descobri a duras penas. Eu tinha que começar às 8 horas da manhã e não tinha mais como me enganar, nunca gostei de acordar cedo (acordar 7 horas ou 7 horas e 15 minutos era cedo).

Demorou, mas fui baixando minha hora inicial de estudo para concurso. Como adoro dormir, tomava café da manhã estudando, ia na cozinha fazer o café, preparava o material e começava a comer e tomar café já sentado estudando.

Se isso não ficar claro para você, então estabeleça uma meta para a metade da manhã, por exemplo, até às 10 horas ter feito 2 horas líquidas e vá “forçando a barra” desse jeito. Se precisar, desenhe sua rotina com os horários e faça uma grade de horários com horas e a tarefa a ser feita.

Claro, obedeça a isso. Se você estiver estudando para concurso, então sabe que quanto mais repetitiva sua rotina, quanto mais robotizado ficar, mais você ganhará, terá disciplina e conseguirá repetir os dias em alto rendimento. Isso é fundamental.

Sim, você tem que criar sistemas, uma grade de horários bem definida e cumprir. Estabeleça metas intradiárias para conseguir cumprir exatamente o que você tem que fazer. Como somos humanos, sabemos que até quando a gente tenta se ajudar, nos atrapalhamos. Se você tem até às 18 horas para estudar, faça o máximo possível para se programar a parar às 17 horas ou até às 17 horas e 30 minutos.

Se você trabalha o dia inteiro e tem até às 22 horas e 30 minutos para estudar, faça o máximo e diga para você: “tenho até 21 horas e 45 minutos ou até 22 horas para estudar”. Assim você consegue se enganar um pouquinho de modo a adiantar um pouco seus estudos e cumprir sua meta mais cedo.

É mais ou menos o que faço com minha esposa quando marcamos de sair para encontrar alguém.  Se marco com um casal de amigos às 21 horas, falo para ela que marquei às 20 horas e, com isso, a Lei de Parkinson se expande e extrapola o nosso horário. Saímos de casa às 20 horas e 30 minutos, chegamos 20 horas e 50 minutos (na verdade estava marcado às 21 horas) e, assim, parecemos um casal pontual.

 

 

SAIBA MAIS:

Ciclo de estudos e revisão periódica: rápidos e eficazes!

A melhor meta de estudos para 2020!

Vença a procrastinação mudando o foco!

 

E se você quiser conferir mais dicas sobre concursos como essa, coloque o seu e-mail no campo “Receba novidades” no final desta página, para receber novas informações semanalmente.

Me siga nas redes sociais para acompanhar mais conteúdo a respeito de concursos públicos!

Muito obrigado e até a próxima!

 

Compartilhe este post por meio dos links abaixo:

Deixe seu comentário Um comentário

Deixar comentário