Skip to main content

O que fazer na véspera do concurso?

Por 27/12/2017janeiro 18th, 2019Técnicas, Videos

Olá! Meu nome é Diogo Moreira, sou Auditor-Fiscal da Receita Federal e estou aqui para te ajudar a sair dessa “vida bandida” que é estudar para concursos.

É melhor estudar até entrar nos portões no dia da prova ou relaxar dias antes e ficar com a cabeça descansada? E as “decorebas” de última hora? E se você não lembrar de algum detalhe? Confira!

 

O que fazer na véspera da prova para concurso público?

 

Frequentemente eu recebo essa pergunta.

Professor, como que você fez? Como que você fez na véspera, no dia anterior à prova, no dia da prova, como é que você agiu?

Isso é bastante pessoal. O importante é você identificar como que você age de uma forma que não te gere mais ansiedade e que você se sinta confortável.

Vou falar primeiro o meu caso, e depois vou dizer como que outros alunos fazem, como que outras pessoas fazem.

Eu estudei muito, durante pouco tempo, 9 meses, mas eu estudei muito, e, assim, foi exaustivo. Especialmente no pós-edital, em que eu estava estudando 8 horas líquidas por dia, eu fiquei muito cansado.

E com aquela leitura excessiva, eu desenvolvi astigmatismo, fiquei com 2,5º em poucos meses. Eu estava me sentindo mal, um pouco tonto… Fui fazer minha prova tomando Dramin. Porque eu lia e ficava tonto, as imagens iam embaralhando.

Foi tenso. Horrível mesmo!

Mas aí, por causa disso, eu parei de estudar alguns dias antes.

Eu não estava conseguindo, eu estava estressado, eu já estava cansado, com aquele cansaço mental que eu falei em um outro vídeo, e aí eu resolvi pegar leve. Chutei o balde. Falei, pô, sinceramente, se eu não aprendi em 9 meses, não vai ser em 3 ou 4 dias que eu vou aprender essa porcaria.

Não é assim. Não dá!

Alguém não vai me passar por causa de 3 dias de estudo. Então, eu vou relaxar. Por que que eu pensei isso? Porque nem tudo a gente lembra conscientemente. Raramente você vê uma matéria e assim que você olha você fala, “pô, isso aqui eu tenho certeza que é tal, tal e tal.”.

Muitas vezes você olha e fala: “Eu acho que é essa aqui”. Ou, então, por eliminação: “Eu acho que não é nenhuma dessas outras alternativas, só pode ser essa”.

E muitas vezes você leu uma questão, não tem certeza, segue adiante, depois você lembra. “Pô, eu acho que eu lembrei, eu acho que é tal resposta daquela questão”. Aí você volta e marca e acerta.

 

Entenda: existem processos inconscientes de memorização e lembrança!

 

Já passou por uma situação em que você tenta lembrar o nome de alguém e não lembra de jeito nenhum e quando você está entrando no carro, o nome vem na sua mente de repente?

Isso acontece também na hora da prova!

Então, não adianta você sair querendo fazer todas as questões de uma vez só, e, mais importante, você tem que estar com a cabeça descansada.

Essa foi a minha estratégia, foi isso que eu pensei na hora de descansar na véspera da prova.

Se eu estiver com a cabeça boa, no lugar, vai ter um monte de coisa que eu li nos últimos meses, vão ter diversas coisas que provavelmente eu vou lembrar, ou vou ter aquele feeling de qual é a resposta, simplesmente porque eu estou bem, porque eu estou com a cabeça no lugar, porque eu estou tranquilo.

Essa foi a opção que eu tive.

Ganhei mais pontos assim, ganhei menos pontos? Impossível dizer.

Mas, para mim, funcionou. 3 ou 4 dias antes eu fui jogar tênis, fui para a praia, relaxei… Não joguei videogame porque eu estava com astigmatismo me incomodando muito, mas passeei, fui visitar meu pai, fui à fazenda um dia… Dei uma relaxada geral, para estar com a cabeça no lugar na véspera da prova.

 

Você tem que agir de acordo com a sua natureza.

 

Tem gente que se fizer isso, parar de estudar 3 dias antes, vai pirar. Vai ficar completamente ansiosa, nervosa, achar que está fazendo aquilo errado. Você tem que fazer aquilo que funcione para você.

Tem gente que lê resumo na porta do local de prova, joga na lixeira e entra.

E pode funcionar para essa pessoa. E tem sempre aquela história, “nossa, eu li isso aqui antes de entrar e acertei duas questões”.

Todo mundo conhece história assim, e fala, puts, se eu não fizer assim, eu não vou acertar duas questões. Não é assim!

A gente lembra muito mais desses casos atípicos do que aqueles casos de pessoas que leram até a hora de entrar na prova, ficaram cansadas e erraram um monte de questão besta por isso.

Ninguém pensa isso. Ninguém traz essa informação para você. Então, a coisa vem muito enviesada.

De qualquer forma, o quê que te deixa tranquilo? O quê que te gera menos ansiedade?

Identifique isso!

Se você é do tipo que precisa ler até a véspera, até entrar na prova: faça isso.

 

Sugiro que você evite os extremos.

 

Nem chutar o balde completamente muito tempo antes, e nem chegar desesperadamente na hora da prova, carregando um monte de material na bolsa.

A única coisa que eu fiz na véspera da prova com relação ao conteúdo, foi olhar um caderninho do desespero que eu tinha. Tinha alguns assuntos, algumas questões, algumas frases que não entravam na minha cabeça de jeito nenhum.

Tinham questões que eu errava sempre. Eu errei 4 ou 5 vezes a mesma questão. Era de olhar para a questão e falar: “Puts, essa aqui eu erro sempre”. E errava de novo, mais uma vez.

Então, para essas questões, eu criei o caderninho do desespero. Era umas duas ou três folhas, em que eu listava as coisas que eu tinha que decorar na marra mesmo, porque eu não tinha entendido, porque não tinha entrado na minha cabeça.

Aquilo ali eu vi na véspera.

Assim como fórmulas matemáticas, de Raciocínio Lógico e tudo mais… Isso eu também li na véspera.

Mas, poxa, você faz isso em 30, 60 minutos no dia anterior, ou na manhã do dia da prova.

Você tem que estar com o material organizado para você pegar essas “decorebas” na véspera da prova. Se você não marcou o seu material, se você não resumiu, fez esquemas ou mapas mentais das suas grandes dificuldades, quando chegar a véspera da prova, você não vai saber exatamente o que revisar.

Você tem que ter uma postura ativa com relação aos seus estudos, para você saber quais são as suas facilidades e as suas dificuldades.

 

No dia da prova: chegue cedo. Chegue 1 hora antes, para você chegar, relaxado, olhar em volta…

 

Olha para a sala, olha para os fiscais, olha para os colegas em volta. Não sente e fique olhando para a sua carteira como se tivesse um mundo pegando fogo em volta não. Você tem que se acostumar com o ambiente.

Então você tem que ficar olhando, fica olhando mesmo, não tá nem aí não, olha para as pessoas e tudo mais. Você vai ficar mais à vontade assim, vai se sentir menos inibido.

Outra vantagem de chegar cedo é você dar uma relaxada. Senta cedo, senta na carteira, dá uma relaxada, fica ali pensando na vida, relembra algumas coisas, ou, então, fica pensando em outras coisas, enfim.

Uma vez eu até cochilei antes da prova, que eu cheguei cedo demais.

Fui fazer acho que escrivão da Polícia Federal, alguma coisa assim, não estudei para essa prova, eu fui lá só para testar como é que era, e eu de uma cochilada porque eu cheguei 1 hora antes e não tinha mais nada para fazer.

E, muito pior do que isso, você chegar em cima da hora, esbaforido, na correria, com medo de perder a hora da prova, porque teve algum problema, um pneu furado, alguma coisa assim, e aí você já chega com a cabeça toda errada, sem concentração nenhuma, se sentindo mal, ansioso, e aí a coisa vai para o brejo.

Chegue cedo e relaxe antes da prova.

 

Se você não tem experiência de prova, é muito importante que você faça alguns simulados antes, para você controlar o tempo de prova.

 

Isso significa conseguir passar por todas as questões sem ficar preso.

Você ficar preso numa questão de Português, você ficar preso numa questão de Estatística, é coisa de iniciante, é coisa de quem não tem experiência.

Quando você faz algumas provas, você faz alguns simulados, você percebe que se você fizer isso, você vai jogar fora diversos pontos e, talvez, a sua aprovação.

Porque se você tiver que fazer as últimas 10, 15 questões da prova na maior correria, você vai perder pontos importantes ali.

E a aprovação é definida em 1 ou 2 pontos. Então, não dá para vacilar.

Faça prova de concursos frequentemente.

A cada dois meses, a cada três meses, mas esteja envolvido, pegue experiência nisso aí.

Se não for possível, se não deu, não teve condições, alguma coisa assim, faça simulado.

Mesma quantidade de questões, mesmo tempo que você vai ter no dia da prova. E assim você vai ganhar um pouco mais de experiência.

 

ESTUDE COMIGO DURANTE 12 MESES!

 

O Coaching (mentoria ou consultoria) é um atendimento em grupo. Eu faço o seu planejamento de estudos inicial, dou acesso a dezenas de vídeos exclusivos com técnicas de estudo e abro espaço para todos os alunos conversarem e trocarem experiências de como estão estudando. CLIQUE AQUI para saber mais!

 

 

E-BOOK GRÁTIS – 9 PASSOS QUE ME LEVARAM À APROVAÇÃO EM 9 MESES

 

Neste eBook, conto minha trajetória e explico passo a passo o que você deve fazer para extrair o máximo dos seus estudos para concursos públicos:

 

9 PASSOS QUE ME LEVARAM À APROVAÇÃO EM 9 MESES

 

SAIBA MAIS:

 

COMO FOI A MINHA POSSE NA RFB?

CANSAÇO MENTAL NOS ESTUDOS

 

E se você quiser conferir mais dicas sobre concursos como essa, coloque o seu e-mail no campo “Receba novidades” no final desta página, para receber novas postagens.

Me siga nas redes sociais para acompanhar mais conteúdo a respeito de concursos públicos.

Muito obrigado e até a próxima!

 

Compartilhe este post por meio dos links abaixo:

 

Deixar comentário

Quer receber mais informações e ajuda sobre este e outros concursos?