Skip to main content

Estudo e esqueço. O que estou fazendo errado?

Por 10/09/2021setembro 16th, 2021Dicas, Técnicas, Videos

Olá! Meu nome é Diogo Moreira, sou Auditor Fiscal da Receita Federal e estou aqui para te ajudar a sair dessa “vida bandida” que é estudar para concurso.

Mesmo um concurseiro avançado sente que está esquecendo coisas. Como fazer para acumular conhecimento e acertar cada vez mais questões? Confira!

 

Estudo e esqueço. O que estou fazendo errado?

 

E aí Ivãnir, tudo bem? Vamos lá responder a sua dificuldade. Você citou que já terminou as matérias a um certo tempo e não tem conseguido lembrar de alguns assuntos no momento de responder as questões – que tempos atrás havia acertado “Parece que não entra o que estudo na mente. Não consigo me livrar da sensação de que está faltando alguma coisa.”

Olhe só, normalmente, com a matéria finalizada, giramos os vários conteúdos – vamos do primeiro para o segundo, para o terceiro, para o quarto, para o quinto, para a última aula, e depois volta à primeira. Você fica girando as matérias durante bastante tempo, às vezes para sempre fica dessa forma.

E normalmente demora uns dois meses mais ou menos – às vezes um pouco mais, às vezes um pouco menos – para você girar por todos esses assuntos, caso fizer 15 questões de cada assunto. Mais ou menos isso, essa é uma boa média.

 

O que acontece?

 

Com o passar do tempo realmente esquecemos algumas coisas. Algumas coisas que tínhamos acertado antes passamos a errar porque esquecemos. Isso é normal. Acontece que, ao fazer essas questões, vamos supor:

você agora chegou no assunto da aula 11 que não vê há um tempão. Então pega a aula e antigamente – quando você fez questões ímpares ou alguma coisa assim – acertou 78%, e agora fez depois de ter girado 10 aulas, voltou para aula 11, fez e acertou 72% das questões.

“Diogo eu estou piorando, estou esquecendo, o que está acontecendo comigo?” Você ficou dois meses sem revisar um assunto e é natural que esqueça. E isso não é um teste supremo da sua memória que te dirá se você é capaz de passar ou não. Isso é só uma revisão.

 

Este é o momento de revisar.

 

Ao fazer as questões você revisou, ao ler o enunciado, ao ler as alternativas, ao escolher uma delas, ao corrigir, ao ler os comentários. Tudo isso é o processo de revisão. E a vantagem é: quanto mais você revisa, mais longe fica a próxima revisão. É mais ou menos assim.

Você revisa agora, um pouquinho depois, fica mais tempo sem revisar, depois mais um tempo, depois mais um tempo. Essa é a vantagem das múltiplas revisões, quanto mais você revisa mais longe pode ficar a próxima revisão. Então esses dois meses no começo são muita coisa, depois já não são tão tanta coisa assim. E o seu percentual de acertos tende a aumentar.

Lembrando que, com relação às decorebas – esquecemos principalmente decorebas – a ferramenta que temos para isso é o caderno de erros ou os flashcards. E o principal é, relendo o caderno de erros você pega algumas informações com mais frequência do que de dois meses em dois meses.

Você lê os cadernos de erros toda semana, ou uma vez por quinzena. Então a revisão é mais célere ainda, e está baseada naquilo que você está errando. Então é uma coisa muito mais focada e tomará menos tempo.

 

Mas o grande lance do caderno de erros é às vésperas da prova.

 

Porque aí sim, na última semana antes da prova você passa por todo o seu caderno de erros, e pega todas essas decorebas e lê faltando cinco dias para a prova, quatro, três dias, e lembrará dessas coisas todas três dias depois – que é o dia da prova, que é o dia que interessa.

Você lê o caderno de erros, vai lembrar no dia da prova e depois esquecer de novo – e não tem problema. Aqui estamos fazendo um processo de revisão contínua, mais a separação das decorebas e das coisas mais difíceis – para você – no caderno de erros, que vai ser relido às vésperas da prova.

Se sua prova estiver longe ou demorando muito é interessante que você faça outra prova parecida no meio do caminho “já bati o edital todo” É interessante fazer prova para pegar experiência. Ou então “não Diogo, eu não quero fazer outra prova. Só quero essa mesmo”.

 

Então simule um dia da prova.

 

Inclusive com a preparação de véspera: focado no caderno de erros, focado nos flashcards, na última semana antes desse simulado, por exemplo, que você quer fazer. E aí você medirá como foi no simulado.

Sem essa preparação de véspera baseada no caderno de erros é como se você acordasse um dia do nada para fazer um concurso, e não fazemos assim. Fazemos uma preparação diferenciada perto da prova.

Vá anotando os seus percentuais de acertos e lembre-se de que, cada vez que você faz questões, está revisando. E isso é parte da preparação, não é um teste supremo, OK? É isso aí, qualquer coisa me fale. Grande abraço.

 

SAIBA MAIS:

Vontade de passar rápido, medo de tentar várias provas e o melhor concurso dos próximos meses

O Perfeccionismo atrapalha seus estudos

Como estudar para concurso e lidar com o medo de não estar pronto

Quer aprender a estudar? Entre para a Comunidade Estudo Completo

Conheça o Programa de Coaching: CLIQUE AQUI

 

E se você quiser conferir mais dicas sobre concursos como essa, coloque o seu e-mail no campo “Receba novidades” no final desta página, para receber novas informações semanalmente.

Me siga nas redes sociais para acompanhar mais conteúdo a respeito de concursos públicos!

Muito obrigado e até a próxima!

 

Compartilhe este post por meio dos links abaixo:

Deixar comentário

Quer receber mais informações e ajuda sobre este e outros concursos?